COMO AS CÉLULAS FUNCIONAM?

 

 

Introdução



No interior de uma célula viva, mesmo da mais simples, ocorrem processos bioquímicos de extraordinária complexidade. Esses processos
constituem, em conjunto, o metabolismo celular (de metabole, transformar). O metabolismo vai desde simples reações de digestão de alimento até as complexas reações de fabricação de novas moléculas e estruturas celulares. É o metabolismo que permitirá a cada célula crescer e se reproduzir. A constatação de que todos os seres vivos são formados por células abriu os horizontes da Biologia. Afinal, quando estudamos a estrutura e o metabolismo de um tipo qualquer de célula, estamos estudando também um pouco de todos os outros organismos, uma vez que todas as células se parecem.Vamos conhecer os principais tipos de células que constituemos seres vivos?

Veremos como elas são estruturadas e como funcionam. Nosso principal objetivo é distinguir as características comuns a todas as células daquelas que aparecem somente em alguns dos tipos celulares.

 

Tipos de células



Do ponto de vista estrutural, podemos distinguir dois tipos de células vivas: procariontes e eucariontes. As células procariontes (de protos, primitivo) são as de estrutura mais simples. Como seu próprio nome indica, elas não têm núcleo organizado. Apenas as bactérias e as cianofíceas (estas também chamadas de “bactérias azuis” ou “algas azuis”) apresentam células desse tipo. As células apresentadas por todos os outros seres vivos são dotadas de núcleo, sendo por isso denominadas eucariontes (de eu, verdadeiro, e carion, núcleo).

 

A célula bacteriana: um exemplo de procarionte

A célula bacteriana é delimitada externamente por um envoltório relativamente espesso e resistente chamado parede celular. A finíssima membrana plasmática da bactéria, a qual circunda o citoplasma fluido, encontra-se encostada na parede celular. No citoplasma encontra-se dispersa grande quantidade de pequenos grãos chamados ribossomos. A célula bacteriana não possui núcleo. Sua região mais central é ocupada por um material filamentoso, constituído basicamente por DNA. Essa região é denominada nucleóide, e é correspondente ao núcleo presente em todos os demais tipos de células.

 

 

Figura 1. Esquema de um corte de bactéria observado no
microscópio eletrônico. Note o mesossomo, uma dobra da membrana plasmática onde
se prende o DNA.

 

Células de animais e de plantas: células eucariontes



Apesar de as células de plantas, de animais e de protozoários diferirem em alguns aspectos, elas se assemelham na importante característica que é possuir núcleo bem definido e organizado. Em geral, existe um único núcleo por célula. Entretanto, alguns tipos de células podem ter dois ou mais núcleos. Existem até mesmo células que, embora tendo núcleo quando jovens, perdem-no ao amadurecerem; esse é o caso de nossas hemácias (ou células vermelhas do sangue). As células eucariontes variam muito nos diferentes organismos. Entretanto, em todas elas é possível reconhecer um mesmo padrão geral de organização (Figura 2). As células eucariontes possuem uma membrana plasmática, um citoplasma repleto de organelas e núcleo delimitado por duas membranas. O citoplasma de uma célula eucarionte não é homogêneo como o das células procariontes. Além dos ribossomos, existem inúmeras bolsas e canaizinhos membranosos, tubos e fios de proteínas que dão ao citoplasma o aspecto de um verdadeiro labirinto.

 

Organelas de células eucariontes 



Os canais e bolsas membranosos presentes no citoplasma de todas as células eucariontes são comparáveis a pequenos órgãos intracelulares, recebendo, por isso, a denominação geral de organelas (ou orgânulos) citoplasmáticas. O material genético das células eucariontes está separado do citoplasma por uma membrana dupla chamada carioteca ou membrana nuclear. Além disso, o DNA não é nu como nos procariontes; nas células eucariontes os filamentos de DNA estão associados a proteínas, formando fios um pouco mais espessos de cromatina (de cromo, cor, significando “material corável”). Esse nome deve-se ao fato de o material nuclear das células eucariontes se corar com grande facilidade, quando tratado com certos tipos de corantes. Mergulhados na cromatina, podem ser encontrados corpos densos e geralmente arredondados, denominados nucléolos, os quais não existem nos procariontes.

 

 

Figura 2. À esquerda, aspecto de uma célula animal e, à
direita, de uma célula vegetal, ambas desenhadas a partir de fotomicrografias
eletrônicas.

 

BIBLIOGRAFIA:

AMABIS, José Mariano, MARTHO, Gilberto Rodrigues - Fundamentos da Biologia Moderna, .1a. ed. - São Paulo ; Editora Moderna, 1990

 

Enquete

Qual recurso você mais utiliza para estudar?
 

Veja Também...

Banner