Por que devemos escovar os dentes?

 

Na nossa boca vivem naturalmente vários tipos de bactérias, O conjunto delas constitui a chamada microbiota bucal, que contribui para nos proteger de certas doenças. Algumas bactérias, no entanto, contribuem para a formação de cáries e inflamação nas gengivas e, por isso, devem ser removidas através da escovação dos dentes. Comprove a existência de bactérias na cavidade bucal através deste experimento.

Palavras-chave

Pontociência; biologia; micro-organismos; microbiota normal; higiene bucal; escovação de dentes; antisséptico bucal; azul de bromotimol.

 

Você vai precisar de:

Autoclave ou álcool absoluto; algodão estéril:
fogão ou chapa elétrica;
tubos de ensaio e suporte;
gaze;
barbante;
caneta para retroprojetor;
retroprojetor com adaptação para projeção vertical;
gelatina incolor sem sabor;
açúcar;
béquer ou panela;
indicador de ácido-base azul de bromotimol;
enxaguador antisséptico bucal;
copo plástico pequeno.

 

Passo 1
Esterilizando os materiais (tubos de ensaio, béquer ou panela, colher, bastão de vidro) para a produção do meio de cultura

É necessário esterilizar todos os materiais utilizados no experimento, pois, como se trata de experiência microbiológica, pode haver contaminação por bactérias já existentes na superfície das mãos ou nos próprios materiais, O ideal para isso é utilizar uma autoclave ou uma panela de pressão caseira. Alternativamente, você pode dar um banho de álcool no material, de forma a conseguir uma esterilização parcial de todo o material. Para este banho, lave as mãos com álcool ou outro antisséptico e coloque luvas descartáveis. Depois, encharque um chumaço de algodão estéril com álcool e passe-o sobre toda a superfície externa e interna do béquer ou panela e dos tubos de ensaio. Se os tubos de ensaio forem de pequeno diâmetro, pode-se colocar álcool absoluto em seu interior e agitar de modo a atingir toda a superfície interna. Antes de iniciar o próximo passo, espere alguns minutos para que todo o álcool utilizado na limpeza do material se evapore.

 

Passo 2
Produzindo o meio de cultura

O meio de cultura para este experimento é líquido e deve conter uma fonte de proteínas — a gelatina — e uma fonte de carboidratos — o açúcar —, ambos necessários para a sobrevivência e reprodução das bactérias.

Ferva 500 ml de água e deixe-a esfriar. Adicione 12 g de gelatina e dissolva-a em fogo baixo ou leve-a ao micro-ondas por 20 a 30 segundos. Não deixe a solução ferver após o acréscimo da gelatina, para evitar a desnaturação de proteínas. Dissolva 40 g de açúcar na solução de gelatina e acrescente 40 gotas do indicador de ácido-base azul de bromotimol. A solução deve apresentar-se azul, indicando que o meio está básico. Caso a solução fique amarela ou verde, acrescente um pouco de bicarbonato de sódio, em pequenas porções, misturando com bastão de vidro ou colher estéril até que se consiga a coloração azul escura.

Está pronto o meio de cultura. Coloque 15 ml do líquido em cada tubo de ensaio, preparando um total de dois tubos por aluno e mais dois que servirão como controles do experimento.

Passo 3
Tampando os tubos

Tampe os tubos com rolhas feitas com algodão, gaze estéril e barbante. Para fazer as rolhas, cubra cada tubo de ensaio com uma gaze estéril, coloque o algodão por cima e empurre o conjunto para dentro do recipiente até sentir que está firme. Em seguida, levante o pedaço da gaze que sobrou do lado de fora e amarre com o barbante. Corte os pedaços de barbante e gaze que ficarem sobrando.

Passo 4
Realizando o experimento em sala de aula

Distribua dois tubos de ensaio com meio de cultura para cada aluno e mais um copo descartável contendo 15 ml de antisséptico bucal. Antes de se iniciar o experimento, os tubos devem ser identificados com o nome do aluno e com os números 1 (sem antisséptico) ou 2 (com antisséptico).

Peça aos alunos que cuspam dentro do tubo 1 e o agite com cuidado para misturar a saliva ao meio. Depois os alunos devem bochechar o antisséptico bucal por 1 minuto e cuspir dentro do tubo 2, misturando-o. Como alternativa, o uso de antisséptico bucal pode ser substituído por uma boa escovação de dentes, procedimento que permite a remoção mecânica das bactérias e dos resíduos de alimentos. É importante ressaltar que o antisséptico bucal pode ser utilizado para refrescar o hálito e diminuir a quantidade de bactérias existentes na boca, mas não substitui uma boa escovação.

Atenção: após o uso de antisséptico bucal ou após a escovação de dentes, não se deve esfregar a língua no céu da boca antes de cuspir no tubo. O atrito pode deslocar as bactérias que se encontram mais profundamente nas papilas linguais.

Passo 5
Incubando os tubos

Deixe os tubos à temperatura ambiente por no mínimo 24 horas e no máximo 72 horas. Peça aos alunos que observem seus tubos e descrevam o que aconteceu em cada um.

 

Passo 6
Projeção e análise dos resultados

Coloque os tubos de ensaio dentro de um aquário com água, para que o efeito de lente causado pela curvatura do tubo seja minimizado. Posicione-os no retroprojetor na vertical, como explicado no experimento “Verticalizando a projeção” da página 47, e discuta os resultados com seus alunos.

O que acontece

No final cio passo 5 você observará mudanças no aspecto das soluções dos tubos 1 e 2, aqueles que receberam a saliva. Elas se tornarão turva e/ou apresentarão pontinhos brancos, o que indica o crescimento bacteriano. Os micro-organismos encontrados na nossa boca com maior frequência são bactérias, seres vivos unicelulares e microscópicos pertencentes ao reino Monera. Cada pontinho encontrado representa uma colônia de bactérias.

A mudança de cor também comprova que houve crescimento bacteriano no meio. Ele pode se tornar verde (neutro) ou amarelo (ácido), devido à geração de ácidos a partir da fermentação de substâncias químicas do meio de cultura, sob ação das bactérias.

Para saber mais

A fermentação é um processo de obtenção de energia utilizado por algumas bactérias e outros micro-organismos. As bactérias existentes em nossa saliva fermentam os carboidratos que ingerimos e produzem o ácido lático. Isso gera energia para as bactérias, mas acidifica a superfície dos dentes, o que não é nada bom... Num pH inferior a 5,5, a hidroxiapatita, um dos principais constituintes dos dentes, começa a se dissolver. A dissolução desse mineral favorece o aparecimento de pequenas cavidades nos dentes, onde mais bactérias podem se estabelecer e formar a cárie. Portanto, para manter os dentes sempre saudáveis, é imprescindível uma boa escovação no mínimo três vezes ao dia, de forma a remover mecanicamente restos de alimento e placas de bactérias. Estima-se que o corpo humano contenha cerca de 10 trilhões de células e seja portador de aproximadamente 100 trilhões de bactérias. A microbiota ou flora normal é encontrada em toda a superfície do nosso corpo: na pele e mucosas do tubo digestivo, dos sistemas respiratório, reprodutor e urinário.

 

 

Referência: Matheus, A.L.; Reis, D.D; Paula, H.F. e- "Ciência na tela experimentos no retroprojetor".

 

 

Enquete

Qual recurso você mais utiliza para estudar?
 

Veja Também...

Banner